_O meu material____________

  1. Fato
  2. Luvas
  3. Meias
  4. Máscara
  5. Tubo
  6. Barbatanas
  7. Cinto de Lastro
  8. Faca
  9. Bóia
  10. Arma
  11. Lanterna
  12. Enfião e Saco de Rede
  13. Bóia de Marcação
  14. Saco de Transporte
  15. Caixa de 1ºs socorros

 Fatos

O fato de Verão

No Verão utilizo um fato especial caça de padrão camuflado de 5mm. Utilizo o padrão camuflado devido aos fundos nesta época do ano estarem mais povoados de algas. Apesar disso considero que é a arte e a capacidade de discrição do caçador submarino em acção de caça que faz a sua camuflagem e não simplesmente envergar um fato com esse padrão. É claro que se a essa arte lhe juntarmos um fato camuflado então será ouro sobre azul…

 

 

O fato de Inverno

No Inverno utilizo um fato liso de 5mm. Ao contrário da ideia que muitas pessoas têm, não considero que um fato liso seja para uso exclusivo dos caçadores que fazem as suas caçadas a partir de uma embarcação. A meu ver é tudo uma questão do cuidado de cada um na forma como entra e sai da água, quer seja pela praia ou de barco, porque em plena acção de caça não existem diferenças.

Como é facilmente perceptível, este tipo de fato requer cuidados redobrados no seu manuseamento e para mim o ponto de maior importância é mantê-lo sempre molhado quer no vestir quer no despir, pois manuseá-lo depois de exposto ao Sol será como meter uma faca em manteiga derretida! Uma boa mistura de gel duche e água faz o fato deslizar no corpo sem necessidade de grandes puxões e para o despir levo sempre uma garrafa de água extra para o molhar por fora ao mesmo tempo que o vou despindo.

Umas unhas aparadas é fundamental, tal como evitar os “xixis” dentro do fato, pois o ácido úrico da urina deteriora o neoprene.

Voltar ao cimo da página

 Luvas

Uso sempre umas luvas próprias para caça submarina, com pele sintética e neoprene de 1,5mm nas costas das mãos. Apesar de já ter experimentado várias marcas acaba sempre por surgir o mesmo problema, a zona da ponta dos dedos desgasta-se rapidamente e certamente que custa a todos deitar fora umas luvas novas onde apenas a ponta dos dedos se rompeu. Assim comecei por fazer o reforço dessas zonas mais frágeis com restos de outras luvas o que tem resultado bastante bem, não perdendo sensibilidade e prolongando o seu tempo de duração.

Voltar ao cimo da página

 Meias

Utilizo meias normais de neoprene de 4mm. Como as minhas caçadas são sempre a entrar por terra e muitos deslocamentos são feitos por cima das rochas, calço sempre por cima das meias de neoprene umas meias normais das que se podem comprar em qualquer supermercado a bom preço. Apesar de não se dispensar o cuidado e a atenção de como colocar os pés nas saliências rochosas, evita que as meias de neoprene se desgastem mais rapidamente. Tendo ainda a vantagem de se poder calçar as barbatanas por cima delas, não sendo assim um extra a levar para dentro de água como acontece no caso de umas sapatilhas de borracha.

Voltar ao cimo da página

 Máscara

A mascara é das peças mais importantes neste desporto por isso deve requerer toda a atenção e cuidado do caçador submarino no acto da sua compra. Deve ser confortável tendo em conta o uso prolongado e também completamente estanque e adaptada ao rosto do caçador.

Voltar ao cimo da página

 Tubo

Como adepto da caça ao buraco inevitavelmente tenho um tubo flexível que me permite explorar com maior conforto e segurança as fendas mais apertadas. Sou da opinião que o tubo deve ser o mais simples possível, sem curvaturas exageradas nem qualquer tipo de válvulas.

Voltar ao cimo da página

 Barbatanas

As barbatanas com que faço as minhas caçadas são umas barbatanas com palas em fibra de dureza média que me permitem praticar vários tipos de caça e fazer longas natações com algum conforto. As palas destas barbatanas podem ser trocadas com facilidade.

Voltar ao cimo da página

 Cinto de Lastro

A melhor opção é um cinto de borracha, sem dúvida. O meu primeiro cinto era de nylon e rara foi a vez em que não tivesse de andar à procura da fivela para o abrir depois de ele, durante os mergulhos, ter dado umas quantas voltas à minha cintura. Como é lógico esta situação é uma grave falha de segurança mas que, com o cinto de borracha, ficou totalmente resolvida pois este fixa-se muito bem ao corpo mesmo em águas mais agitadas, estando sempre a fivela ao alcance da mão e pronta a abrir em caso de emergência.

Adaptei um suporte para um mosquetão onde prendo o fio do enfião e fiz uma argola para prender o cabo da bóia.

 
Voltar ao cimo da página

 Faca

Para quem caça a partir da pedra é fundamental economizar em relação ao que leva para dentro de água, até porque muitas vezes para atingir os melhores sítios tem de se fazer penosas caminhadas com o material às costas. Por isso uma faca multi-usos é sempre uma boa opção. Resistente, afiada para rematar peixes mais complicados, um bom serra-cabos para alguma situação de emergência e um saca-arpões para quando se caça ao buraco.

Voltar ao cimo da página

 Bóia

Quanto à bóia utilizo uma em forma de charuto, por ser bastante hidrodinâmica, ter uma boa capacidade de carga e vários pontos onde fixar o material. Serve para transportar o saco de rede e também o pescado menos cómodo de ter no enfião de cintura como é o caso das moreias, safios, rascassos, polvos e chocos.

É também na bóia que prendo um apito de segurança porque se precisar de pedir auxilio será uma preciosa ajuda!

No cabo da bóia optei pela mangueira de aquário por flutuar evitando que se embarace nas barbatanas e por ser transparente o que assusta menos o peixe.

Voltar ao cimo da página

 As Armas

Tenho 3 armas: uma de 75cm que normalmente utilizo para a caça ao buraco, outra de 90cm para vários tipos de caça e que normalmente levo quando vou experimentar um sítio novo e uma de 100cm mais vocacionada para peixes de água livre e tiros mais longos. Todas elas estão equipadas com mono filamento e na arma de 90cm por vezes utilizo um arpão de pentadente.

Voltar ao cimo da página

 Lanterna

A minha lanterna é uma lanterna de 4 pilhas AA com lâmpada de led.

Revesti-a com neoprene o que melhorou em muito a sua flutuabilidade e o conforto em manuseá-la dentro de água. Este revestimento protege também a lanterna dos inevitáveis embates contra as rochas, evitando assim ruídos desnecessários.

Quanto à presilha de fixação substitui-a por cabo elástico o que se torna mais prático e com menos riscos de a lanterna se soltar.

Voltar ao cimo da página

 Enfião e Saco de Rede

Utilizo um enfião de tamanho médio que prendo em volta  da cintura, que serve para rematar as presas capturadas e essencialmente transportar peixe.

Quanto ao saco de rede, tenho um de malha apertada que tanto serve para uma grande santola como para uma mão cheia de burriés (caracóis do mar), para o petisco.

Levo sempre o saco de rede enrolado para dentro de água para que este não se prenda em contacto com as rochas, evitando assim possíveis acidentes.

Voltar ao cimo da página

 Bóia de Marcação

Esta pequena bóia foi preparada por mim e têm como finalidade marcar posições no fundo do mar como um buraco onde se encontre um grande polvo que apesar de ferido teime em sair. Assim, posso continuar a caçar e voltar mais tarde para o recolher sem correr o risco de perder a localização exacta do buraco.

Devido às suas pequenas dimensões pode facilmente ser transportada, por exemplo entalada na rabeira fato.

Voltar ao cimo da página

 Saco de Transporte

Para quem caça a partir da pedra e esta sujeito a longas caminhadas até ao acesso à água, deve ter em atenção alguns pontos importantes que na minha opinião um saco de caça submarina deve ter.

Considero relevante um saco ter um compartimento próprio para arrumação das barbatanas de caça submarina. Outro ponto importante é ter umas boas alças práticas e resistentes, algumas bolsas para arrumação de documentos e objectos pessoais e finalmente ter um fundo impermeável.

Voltar ao cimo da página

 Caixa de 1ºs socorros

Como os azares não acontecem só aos outros, tenho sempre no meu saco de transporte uma caixa de 1º socorros composta por material para desinfectar feridas, fazer um penso rápido, comprimidos analgésicos e um pouco de vinagre para atenuar as picadas de anémonas e alforrecas. Ser mordido por uma moreia, um peixe-porco ou picado por um rascasso é algo bastante doloroso e desagradável, por isso convém estar preparado para evitar males maiores.

Voltar ao cimo da página

[Inicio]

Webdesigner: Laura Amaral



 
Copyright © 2007 [Pedro Soares]. Todos os direitos reservados.
Última revisão: 09/02/09.
www.000webhost.com